Dica de filme para ressaltar a importância das Boas Práticas de Fabricação


Cena do filme Contágio (2011)

Você já assistiu ou ouviu falar do filme Contágio, de 2011? A primeira vez que assisti foi em 2018 e, desde lá, a história do filme passou a fazer parte dos treinamentos de Boas Práticas de Fabricação (BPF) que eu ministrava.

Neste período de pandemia, o filme faz ainda mais sentido, mesmo 10 anos após o seu lançamento. Não vou ser estraga prazeres e contar tudo aqui, portanto convido você a assistir o filme. Mas é importante destacar que na área de alimentos, pequenos deslizes e visões que surgem de frases clássicas que ouvimos por aí podem ser fatais. Alguns exemplos:

“O que não mata engorda”

“O maior come o menor”

“Sempre fiz assim e nunca aconteceu nada”

“Quem me fiscaliza não cobra isso”

“Não dá nada!!”

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera as doenças transmitidas por alimentos (DTAs) uma grande preocupação de saúde pública global e estima que, a cada ano, elas causem o adoecimento de uma a cada 10 pessoas. As DTAs podem ser fatais, especialmente em grupos de risco: crianças menores de cinco anos, idosos, gestantes, indivíduos com doenças como câncer, diabetes e AIDS. Na região das Américas, as doenças diarreicas são responsáveis por 95% das DTAs. No Brasil, a maioria das doenças transmitidas por alimentos são causadas por bactérias, principalmente por Salmonella, Escherichia coli e Staphylococcus.

Este é um importante alerta para sensibilizar as equipes de manipuladores de alimentos. Simples estratégias como a higienização das mãos, etiqueta ao espirrar e cuidados durante a manipulação de alimentos são fundamentais para a produção de alimentos seguros. Uma das causas mais comuns para doenças de origem alimentar é o comportamento humano.

17 visualizações0 comentário