• Daniela Oselame

FSSC V5: Certificação em tempo de pandemia


Post de 19/05/2020 O GFSI (Global Food Safety Iniciative) possui uma parceria desde 2008 com o Fórum de Bens de Consumo  (Consumer Goods Forum ) e tem como objetivo melhorar a gestão dos riscos de segurança de alimentos em toda a cadeia de suprimentos. Além disso, tem sido uma força motriz por trás da implementação de sistemas de gestão de segurança de alimentos, reconhecendo que programas de certificação cumprem requisitos básicos necessários para a produção de alimentos seguros. Hoje, existem 14 programas de certificação diferentes reconhecidos que abrangem uma vasta gama de setores da cadeia de suprimentos, sendo o mais crescente o FSSC 22000.

A equipe do GFSI monitora a situação do Covid-19 diariamente, assim como preza pela segurança dos auditores. Seguindo o documento publicado pelo GFSI em 13/03/20, o FSSC decidiu conceder uma exceção no caso do Coronavírus, no qual impede que os OC viagem para organizações em áreas/países afetados, bem como a dispor auditores para chegar ao local de auditoria devido às políticas corporativas da empresa.

Com a crise decorrente da pandemia, muitas empresas devem estar se perguntando:

 - “ Como fica a certificação da minha empresa?  -Teremos auditorias de manutenção?”

A maior preocupação hoje por parte dos fabricantes de alimentos está marcada pelas certificações atuais e pela possibilidade de perdê-las devido às limitações dos auditores para chegarem às fábricas em locais com alta incidência de COVID-19. Nesse contexto o Comitê Técnico do GFSI concordou, junto com os Boards dos CPO’s (Certification Proprietary Owner = Entidades proprietárias das normas), que estender a certificação por um período de seis meses seria a melhor opção, sendo contra a implementação de auditorias remotas para fins de certificação.

Para que isso ocorra, os organismos de certificação (OC) deverão realizar uma avaliação de risco detalhada nas empresas seguindo os critérios listados na seção 3 do ID3 da IAF:2011. Os OC terão responsabilidade absoluta de avaliar se a extensão do período de certificação será possível ou não. O resultado da avaliação de risco pode levar à suspensão do certificado ou atualização da sua conformidade.

Nessa avaliação de risco, deverão ser demonstrados e avaliados os seguintes requisitos:

- principais mudanças realizadas nas instalações desde a última auditoria, por exemplo, planos de APPCC, recalls de produtos e níveis de reclamações;

- status em relação aos objetivos de processo e desempenho, revisão da gestão pela alta direção e resultados de auditorias internas. As organizações certificadas são obrigadas a aumentar a frequência de auditorias internas em apoio ao SGSA e garantir a segurança de alimentos;

- atividades pendentes de Não Conformidades;

- atendimento a requisitos legais;

- se a empresa está operando de acordo com o escopo da certificação;

- qualquer alteração de processos ou serviços terceirizados após a pandemia;

- preparação e resposta a emergências, incluindo o impacto do Covid-19 na cadeia de suprimentos da organização e o impacto sobre os recursos e a segurança de alimentos;

- Reunião com a organização: o objetivo desta reunião é avaliar as ações do local em resposta ao Covid-19 e garantir que a organização certificada tenha desenvolvido/ajustado seus procedimentos e operações para garantir o cumprimento continuo do esquema e o fornecimento de produtos seguros. 

Auditorias periódicas (atualização V5)

Após a avaliação de risco, poderá ocorrer a decisão de manter o certificado na versão 4.1, suspender o certificado V4.1 ou adiar a auditoria de atualização para a V5 num prazo máximo de 6 meses.

Auditorias de recertificação

Caso o certificado V4.1 expire, a validade do certificado poderá ser estendida por até 6 meses após a realização da avaliação de risco. Em todos os casos, o OC é responsável pela decisão de prorrogar a validade do certificado e deve manter registros para subsidiar a decisão da certificação.

Caso a validade do certificado V4.1 seja prorrogada, a avaliação de risco deverá ser enviada ao Portal como uma “auditoria especial” no prazo máximo de 28 dias. O OC pode emitir um certificado 4.1 estendido para a organização.

A auditoria completa de recertificação V5 deve ser realizada dentro da janela de extensão de validade de 6 meses, com tempo suficiente para garantir que o certificado estendido não expire e a certificação seja mantida. As novas datas do certificado V5 devem estar alinhadas com o atual ciclo de certificação.

Na prática, vamos supor que seu certificado FSSC atual é válido desde 18/06/2017 até 18/06/2020, então:

Se o resultado da sua avaliação de risco for positivo

A validade do certificado pode se estender por 6 meses

A data de vencimento do certificado atual é estendida até 18/12/2020

A auditoria de recertificação V5 completa ocorrerá em setembro de 2020, com uma data de decisão de certificação 05/12/20

O certificado V5 subsequente é emitido alinhado com o ciclo anterior, portanto com um período de validade de 18/06/2023

E para as novas certificações FSSC 22000?

Como premissa do GFSI, o FSSC determinou que não serão realizadas auditorias remotas. Visto que em um novo sistema de gestão de alimentos devem ocorrer visitas in loco, até o presente momento não estão inclusas neste documento de posicionamento. As auditorias iniciais deverão aguardar a melhora no cenário da pandemia para serem realizadas.


Fontes:

FSSC22000.com

DNV: Impactos da pandemia covid-19 nas certificações 

© POLETTO SOLUÇÕES EM GESTÃO

  • LinkedIn ícone social
  • Facebook
  • Instagram